1

Como organizar minhas dívidas

Todo brasileiro já passou ou irá passar por um momento de desespero com uma dívida enorme que prejudica todas as suas finanças. E dai, como organizar minhas dívidas?

Pode ser que você esteja passando agora mesmo por isso e que não veja uma luz no fim do túnel para sair do vermelho.

Essa é uma situação mais comum do que as pessoas imaginam e que atinge milhões de brasileiros todos os anos.

Um gasto a mais com algo que quebrou ali, compras desnecessárias apenas para ostentação, saídas corriqueiras no fim de semana, tudo parece muito bom à primeira vista.

Entretanto, quando vão chegando as contas para serem pagas, vem a dura realidade bater na sua porta: você está endividado.

O pior de tudo é que isso vai tornando-se uma bola de neve cada vez maior, principalmente quando não é resolvido logo no início da situação.

Desde que você faça um bom planejamento, tenha uma boa organização e uma pitada de determinação, é possível sair do vermelho e voltar a ter suas finanças em dia.

Para ajudá-lo, resolvi trazer aqui esse artigo com algumas dicas de como organizar suas dívidas e recuperar a sua boa saúde financeira.

Quer saber mais? Então acompanhe o texto até o final!

6 dicas essenciais para sair do vermelho

1- Saiba exatamente quanto está devendo

A primeira dica para organizar as suas dívidas é saber exatamente quanto você está devendo no total, até mesmo os menores débitos que tiver.

Você deve organizar cada uma dessas dívidas relativas a quantas parcelas precisam ser pagas em cada uma delas, quanto tempo ainda resta para quitá-las e também quais as taxas de juros associadas.

2- Organize e conheça seu orçamento financeiro

Agora que você já sabe qual o total da sua dívida, quanto e para quem deve, além do tempo que precisa para pagá-lo, é hora de conhecer e analisar o seu orçamento financeiro pessoal.

Se você não sabe quanto gasta do que recebe por mês, então será difícil economizar para pagar o que deve para os seus credores.

Sendo assim, a próxima dica para organizar as suas dívidas é fazer um detalhamento de tudo o que você recebe por mês (suas receitas, como o salário e rendas extras).

Depois disso, você deve listar todas as saídas de dinheiro, ou seja, os seus gastos, tanto os fixos quanto os gastos variáveis.

Os gastos fixos são aqueles que, independentemente de qualquer coisa, você paga todo mês (e quase sempre o mesmo valor, ou muito próximo), como aluguel, condomínio, conta de internet, de energia e de água.

Os gastos variáveis são aqueles que podem estar presentes em diversos meses. Mas, variam de preço, como compras no supermercado, saídas com os amigos para bares ou restaurantes, cuidados pessoais, enfim.

A partir do momento em que você tiver listado tudo o que recebe e o que gasta. Então, será possível saber onde podem haver cortes de gastos desnecessários para que o dinheiro seja usado no pagamento das suas dívidas.

3- Priorize aquelas dívidas com juros mais altos

Existem algumas dívidas que, apesar de inicialmente até serem menores que outras. Portanto, devem ser pagas de forma prioritária para evitar o efeito de “bola de neve financeira”.

Isso porque essas possuem juros mais altos em relação as outras, o que faz com os valores delas cresçam de modo muito rápido, dobrando o total a ser pago em poucos meses.

Com isso, dê sempre prioridade para aquelas dívidas que possuem altos juros. Contudo, como as de cartões de créditos e créditos especiais (campeões de endividamento no Brasil).

Essa é uma ótima forma de organizar suas dívidas para impedi-las de tornam-se ainda maiores até o ponto em que você não consiga mais quitá-las de nenhuma forma.

4- Procure negociar suas dívidas existentes

Sabendo quais são todas as suas dívidas, após o detalhamento e análise delas. Portanto, além de quais devem ser pagas primeiro, é chegado o momento de negocia-las.

Entre em contato com os seus credores (as empresas para quem você está devendo) sempre dando propostas de pagamentos que estejam dentro da sua realidade financeira e caibam no seu bolso.

A maioria dos credores, principalmente bancos e empresas de cartões de créditos. Portanto, estão propensos a aceitar a renegociação de dívidas. Contudo, até porque para eles o mais importante é receber, não importante a forma.

Dessa maneiro, você conseguirá organizar suas dívidas de modo a conseguir pagá-las todas em acordo direto com o credor.

5- Analise trocar altas dívidas por apenas uma com juros baixos

Essa é uma boa opção para quem deseja organizar suas dívidas. Mas, não possui condições de pagar os altos valores daquelas que possuem altos juros.

Sendo assim, a dificuldade em pagá-las logo faz com a dívida cresça mais ainda com os juros. Portanto, tornando impossível seu pagamento.

Nesses casos, vale a pena investir em um empréstimo ou crédito pessoal em um banco para poder quitar as dívidas maiores (como as do cartão de crédito).

Dessa forma, você fica com apenas uma dívida em aberto, com juros baixíssimos ao mês. Contudo, tornando mais fácil quitá-la.

6- Mude seus hábitos para não cair de novo em dívidas

Após a quitação de todas as dívidas, revertendo os seus débitos e conseguindo ter de novo as finanças em dia, é preciso uma mudança de hábitos para não voltar ao estágio anterior.

Se você não mudar seus hábitos, sua relação com o dinheiro e aprender a usá-lo com consciência. Contudo, em pouco tempo estará novamente atolado em dívidas.

Portanto, possua todo o controle sobre suas finanças. Porém, sempre organizando o que ganha e o que gasta de modo a manter sempre um saldo positivo na conta.

Esqueça os parcelamentos e limite o uso do cartão de crédito. Portanto, um dos maiores violões de quem deseja organizar as dívidas.

Conclusão

Como você viu, os consumidores sempre acabam comprando mais do que podem pagar. Contudo, prejudicando suas finanças e tornando difícil organizar suas dívidas.

Entretanto, com um pouco de planejamento, organização e determinação para abrir mão de gastos supérfluos e desnecessários. Portanto, é possível voltar a ter uma boa estabilidade financeira de maneira eficiente.

Gostou do artigo de hoje falando sobre as dicas para organizar suas dívidas?

Veja também, como saber se meu nome esta restrito e como limpar meu nome de maneira mais fácil.

Se ficou com alguma dúvida sobre esse assunto. Portanto, escreva-a abaixo nos comentários para que eu possa ajudá-lo.

Colunista

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *